Cíntia Vieira Soares e a Evangelização de bebês – EAC 2013

Cintia_Vieira_Evangelizando_Bebes

Cíntia Vieira Soares, graduada em música, mestre em Educação (ambas pela UFG – Universidade Federal de Goiás) e diretora da escola “Música e Bebê” em Goiânia-GO, Cíntia fala sobre seu livro Evangelizando Bebês.

1. Por que a proposta Evangelizando Bebês?

Considerando que evangelizar é alcançar os corações com o conhecimento espírita e com a moral do Cristo, evangelizar bebês é educar o espírito desde a mais tenra idade, levando-o a sentir as vibrações amorosas de Jesus e a proteção de Deus. Além de vivenciar atividades doutrinárias e cristãs de estimulação, visando o seu desenvolvimento harmônico, o bebê é também incentivado a perceber os laços de carinho e amor que o une à mamãe, ao papai e seus familiares, em ambiente espiritualmente saturado de boas vibrações.

2. Como surgiu a ideia?

A ideia de evangelizar bebês surgiu a partir da necessidade de atender crianças com menos de 2 anos de idade que, até então, não tinham a oportunidade de participar das atividades de evangelização em nossa casa espírita. Os pais queriam que os bebês ficassem nas salas com os irmãozinhos, mas não tínhamos nenhuma condição de receber crianças com faixa etária tão específica… Como eu já trabalhava com musicalização de bebês, a inspiração divina foi a de utilizar a mesma metodologia que eu dominava profissionalmente, a partir de um programa estruturado com conteúdo sobre Deus e os ensinamentos de Jesus.

3. Como tem sido a experiência das oficinas?

Maravilhosa. A proposta é compartilhar ideias e práticas sobre o tema “Evangelização de Bebês”. Como o trabalho é feito em algumas regiões, desconhecido, realizamos a rotina de uma aula com algumas atividades fundamentais, com os próprios bebês da região e seus pais. A oficina é estruturada em dois momentos: o primeiro, com a demonstração de uma aula de evangelização para bebês, e o segundo, com a fundamentação pedagógica e doutrinária, a partir das dúvidas e perguntas dos evangelizadores participantes.

 4. Conte-nos algo marcante

O aspecto mais distinto deste trabalho é a possibilidade de participação dos pais junto aos bebês. A presença ativa da mamãe e do papai nas atividades de evangelização do bebê é fonte básica de segurança e bem-estar, facilitando desde a sua adaptação até a sua completa integração ao ambiente educativo espiritual. Não podemos esquecer que os pais são acima de tudo corresponsáveis pelo processo de evangelização de seu filho. Assim, a evangelização propicia conteúdo evangélico doutrinário tanto para o bebê quanto para os pais, além de criar e fortalecer os vínculos da família com a Casa Espírita.

5. Qual seu trabalho no EAC 2013?

Apresentamos uma palestra com o tema “A Arte de Servir e Educar”, e uma oficina para evangelizadores, com os bebês da região e seus pais. Os evangelizadores puderam tomar conhecimento de como a evangelização de bebês se processa na prática. Assim, além de incentivar o estudo mais aprofundado do assunto, esperamos estimular a estruturação de atividades para esta faixa etária em mais casas espíritas, e também contribuir com os trabalhos de evangelização já existentes.

Veja:

Parte 1

 

Parte 2

 

Parte 3

 

Parte 4

 

Parte 5